quinta-feira, 19 de novembro de 2009

A Dita que Dura (Tenente-coronel PM Wainer)


A dita que diziam dura,
é nada mais,
que pura candura,
diante da nobre Democracia,
enriquecida de senões,
em um atro véu de ilusões.
Como já foi exaltado,
é proibido proibir;
do povo,
para o povo
e com o povo,
a presença da restrição
num processo de alienação.
Na rua de bem comum,
o público é particular
para transitar só com permissão,
nem todos podem passar,
as casas não permeiam com a via pública,
existem fronteiras de divisão;
concertinas, cercas elétricas e cacos de vidro.
Na supremacia prolongada de segregação,
uma realidade nua e crua.
A lei seca para coibir,
o uso da razão,
o povo bem longe da educação,
vale mais o chicote na mão.
Parece pouco!
Big brother não é programa de televisão,
nossa privacidade vivida,
por imposição é dividida
e desprovida de um próprio sentimento.
Em cada canto,
até no banheiro,
tácito e expresso monitoramento.
O charme do cigarro hollywoodiano
a grande restrição,
nem aqui,
nem ali,
nem lá
e nem acolá.
Pare!
Cuidado com os quebra-molas
a indústria gananciosa do trânsito,
política educativa!
Triste ilusão,
tudo na contramão.
Radares,
pardais que não são pássaros
conotam aves de rapina,
instrumento de extorsão.
É proibido proibir,
a dita que diziam dura,
é nada mais
que pura candura.
Nobre Democracia;
do povo,
para o povo
e com o povo,
só Demagogia.
Infelizmente,
essa não é apenas,
uma mera poesia.

Ten-Cel PM WAINER
NOV DE 2009

Um comentário:

luiz disse...

Esse é o Wainer "cara de Mônica"? Rapaz como isso se deu? Dizem que o primeiro homen a pisar na lua foi um PM, agora eu acredito!!!