segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

Amor Cósmico





(P/Nice)

Espanta-me ver a ciência demonstrando nossa infinitesimal importância em relação ao Universo e seus supostos 14 bilhões de anos de existência, Universo que se expande velozmente em direção ao seu (dele) e ao nosso desconhecido destino. Quando ouço falar de big bang, big rip, big crunch e quejando, sinto-me um nada neste contexto cósmico. Imaginar a existência maravilhosa do Universo a partir da explosão de um simples ponto concentrador de energias inimagináveis, ou concebê-lo dentro da ideia de que ele sempre existiu, é mergulhar no absurdo. Pensar num Universo se expandindo até se tornar átomos soltos na escuridão do espaço sideral é não menos absurdo; também a Teoria que nos informa sobre a possibilidade de o Universo encolher-se até desaparecer dentro dele mesmo (buracos negros) é exponencialmente absurda. Mas nada disso se pode descartar...
Que fazer em meio a tanta incredulidade e espanto? Ignorar que estamos enfiados neste contexto monumental apenas como átomos a nos formar como as demais matérias existentes? Ignorar que temos DNA semelhante ao do chimpanzé (95%)? Ou ao da mosca da fruta (75%)?... Qual será a “essência” disso tudo? Que será “essência”, afinal? Será um campo virtual a nos acalentar ante o desalento de que nada de especial representamos como forma (existência)? No fim de contas, e seguindo a lógica do átomo “pensante”, a ciência nem descarta que a pedra, também formada de átomos, “pensa”. Essência, portanto, seria uma vaga idéia da existência? Como avaliar tão complexa questão e acomodá-la dentro do nosso “raciocínio”? Seria, talvez, reduzindo tudo à crença na Revelação, na hipótese de que tudo que existe partiu da vontade de um ente superior a que chamamos Deus? E antes de Deus o que havia?...
Nesta minha elucubração absurda, não consigo crer piamente na Revelação nem racionalmente nas possibilidades apontadas pela ciência cósmica. A Mecânica Quântica esbarra em inescapáveis incertezas; a Astrofísica avança, sim, mas ao superar algumas dúvidas depara sempre com algo além e desconhecido. Explica e nada justifica. As religiões nos aprisionam a dogmas decorados e aterrorizantes. Penso então que o caminho é integrar-me à natureza das coisas e ao seu funcionamento essencial, sem desmerecer a história passada, porém sempre questionando o sobrenatural, este, que se confunde com o desconhecido. Não me adianta existir sem razão concreta, assim eu penso que penso... Preciso enxergar alguma concretude nesta absurda existência na qual penso que me insiro momentaneamente, sabedor (ou não) de que a matéria pensante que represento em breve se tornará pó, voltará à forma original e livre do átomo. Só em mim haverá de haver bilhões deles... Ah, que sobrará de mim?... Átomos?
Neste ponto, devo admitir que entre tantos contrastes com os quais deparamos no nosso existir ressalta-se um que considero a base do meu pensamento: o amor versus ódio. E faço minha opção pelo amor, sem, entretanto, excluir o seu contraste nesta luta eterna do positivo com o negativo, que, paradoxalmente, se completam para iluminar a escuridão que nos cerca na ocultação momentânea do sol. Por conseguinte, não consigo estabelecer a necessária fronteira a isolar o + (mais) do – (menos). Não teríamos a noção do amor se não houvesse o ódio, ou das trevas se não houvesse a luz. Então, neste viver absurdo a esperar a morte, penso cultivar o amor. Mas logo me indago: “Como, se estou envolto em ódio? Como fazer crescer o amor sob a constante pressão do ódio? Como não admitir a Igreja de Deus sempre ameaçada por uma Capela ao lado plantada pelo Diabo?...”
Mesmo assim, insisto no amor como moeda de troca, aceitando-o como capaz de me fazer receber em dobro ou triplo o amor que se me expande em direção ao outro, pondo o Bem a afastar o Mal. Mas sei de antemão que o amor se expandirá somente até se pulverizar em átomos soltos e sem direção ao fim da existência material, ao fim da vida, ao desmoronarem a forma e a função, ao findar o corpo vivo. E o amor se tornará saudade; resumir-se-á, talvez, às lembranças daqueles aos quais dediquei o meu amor. Depois que eles também se forem, depois que desaparecerem todas as existências a mim ligadas pelo amor, ou pelo ódio, tudo fenecerá seja essência, seja existência, seja forma, seja função... E nada restará do big bang, do big rip ou do big crunch.
O meu alento, então, se reduz à certeza de que nenhuma lembrança da minha existência haverá, assim como não mais há a lembrança de existências passadas, mas apenas tentativas de sua reconstrução memorial. E me conformo ante a ideia de que não vencerei meu desalento. Fujo disso tudo e torno ao amor... Torno, sim, ao amor! E não são poucas suas manifestações. Por meio delas, sinto-me sujeito; sem elas, sinto-me objeto a viajar pelo Cosmo como parte ínfima e desimportante.
Sei que o amor é energia positiva. Os Físicos Quânticos garantem ser o amor uma energia subatômica positiva, e dizem que isto é bom. Tomara! Se eu devo crer em algo como essência a sustentar minha efêmera existência material, que seja o amor! Não o sugerido pelas religiões, sempre dependentes de condições prévias e de ritos obrigatórios, muitos deles materiais, supérfluos e aterrorizadores.
Não! Falo de um amor quase animal, instintivo, o que assistimos entre bichos em surpreendente interação. Falo de um amor que nos permita sentir bem-estar e felicidade sem preocupação com futuro e morte. Falo de amor desprendido, superior, puro, sem desprezo do amor, restrito ao homem e à mulher, eternizando lembranças ao gerar novos seres: os filhos. Estes nos proporcionarão a certeza da lembrança, desde que recebam amor. Mas o tempo trapeiro levará um dia as lembranças, boas ou más, aos escaninhos do esquecimento.
Talvez seja egoísmo meu restringir, neste ponto, o amor a uma relação fechada entre o homem e a mulher; mas não há outro meio de parturir lembranças, e o ato sexual gera um prazer indescritível, desde que fruto de amor mútuo. O sexo deve ser consequente do amor. Não o sendo, é mera necessidade fisiológica. Pensando bem, o êxtase sexual entre dois seres que se amam lembra o big bang liberando energia cósmica. O big bang não pode parar; deve-se encaminhar ao big rip, senão haverá o big crunch...
Vamos, portanto, nos amar a nós todos intensamente; assim será mais fácil distribuir amor sem considerar o imperativo mandamental, sem o temor da Tábua negativa, impositiva, proibitiva, esta que não levará a nenhuma salvação. O amor é a salvação. Jesus Cristo pregou o amor; não se prendeu à Tábua, e em nome do amor foi preso à Cruz. Crer no amor, enfim, é aceitar a Palavra que Jesus Cristo pregou no espaço cósmico para um dia ser resgatada até pela ciência (já tentam tal proeza, e não se há de duvidar disso, porque é natural que os sons permaneçam e possam ser decodificados por sua frequência única). Hum... É o que basta! Pois é certo que Ele, por disseminar seu amor à humanidade, dela recebeu e recebe amor até os dias de hoje, e o receberá até o fim dos tempos, se é que haverá algum fim além do fim de nós mesmos ante a permanência eterna do Espaço-Tempo, que é o nosso Deus...

4 comentários:

Paulo Xavier disse...

Li certa vez, não me lembro onde, que uma borboleta que bate suas asas na Floresta Amazônica, poderá causar efeitos na Ásia, ainda que ninguém perceba.
Creio que boas ações, gestos de bondade e caridade atraem coisas boas e positivas para quem as pratica.
Cel Larangeira, esta semana lendo um pouco da Zibia Gasparetto, lembrei-me do senhor. Entre outras coisas ela dizia: "Há pessoas que possuem qualidades especiais, que aparecem junto com a vocação irresistível de ajudar ao próximo"
Vou lhe vender um conselho por $R 0,01: Estimule e preserve esse seu dom nato de ajudar ao próximo e deixe as coisas acontecerem naturlmente. Não receie a morte nem o desconhecido; saiba que Deus não joga, mas fiscaliza. Um abraço Paulo Xavier

Anônimo disse...

CERTA FEITA, BENJAMIM DISRAELI ESCREVEU ¨O SEGREDO DO EXITO NA VIDA DO HOMEM CONSISTE EM ESTAR DISPOSTO A APROVEITAR A OCASIÃO QUE SE LHE DEPARE¨ ENTÃO MEU QUERIDO EMIR, FICO MUITO EMOCIONADA COM ESTE TEXTO MARAVILHOSO QUE A MIM DIRIGISTE, COLOCANDO NELE TODO OS SEUS PENSAMENTOS A CERCA DA EXISTÊNCIA DIVINA, MAS REALMENTE, SE OLHAS AO TEU REDOR...CONSTATAS EM TUDO A EXISTÊNCIA DIVINA, ISTO NÃO HÁ DUVIDAS QUE ACREDITAS NA EXISTÊNCIA DE DEUS. QUANTO A EXISTÊNCIA DA CONTINUAÇÃO DA VIDA APÓS A MORTE, É QUESTÃO DE TEMPO...POIS JÁ CONSEGUES PRATICAR UMA DAS MÁXIMAS DE JESUS, QUE É AMAR O PRÓXIMO COMO A TI MESMO, ENTÃO MEU QUERIDO, JÁ CONSEGUES PRATICAR A CARIDADE, POIS É ATRAVÉS DO AMOR, QUE TANTO FALAS, QUE JÁ PRATICAS A CARIDADE...ÉS UM HOMEM JUSTO E BOM, DIGNO, VERDADEIRO, PELO POUCO QUE TE CONHEÇO, ACREDITO CONHECER-TE HÁ MUITOS ANOS. SÃO ESTAS COISAS QUE NOS FAZEM CRER, EM VIDAS PASSADAS E VIDAS FUTURAS, E QUE NÃO ACABAMOS EM PÓ,POIS NOSSO ESPÍRITO É ETERNO, O QUE ACABA EM PÓ, É APENAS A MATÉRIA, QUE É UMA VESTIMENTA QUE NOS DESPIMOS QUANDO DESENCARNAMOS. TU MESMO, MEU QUERIDO, PRESENCIASTE A MINHA TENTATIVA DE DEMOVER O ÓDIO DO CORAÇÃO DAQUELE RAPAZ QUE TE VENDEU AQUELE TRABALHO ARTESANAL DO QUAL FUI GRATIFICADA COMO UM PRESENTE. TEMOS NÓS, FILHOS DE DEUS, SERMOS INDULGENTE COM NOSSOS INIMIGOS, SABEMOS QUE A MALDADE NÃO É O ESTADO PERMANENTE DOS HOMENS; QUE SE DEVE A UMA IMPERFEIÇÃO MOMENTÂNEA, E QUE, DO MESMO MODO QUE A CRIANÇA SE CORRIGE DOS SEUS DEFEITOS, O HOMEM MAU RECONHECERÁ UM DIA SEUS ERROS E SE TORNARÁ BOM...POR ISSO EXISTE AS DIVERSAS REENCARNAÇÕES, POIS DEUS, EM SUA INFINITA BONDADE, DÁ OPORTUNIDADES IGUAIS PARA TODOS OS SEUS FILHOS...MEU QUERIDO E AMADO AMIGO...ESTE ASSUNTO É DE UMA GAMA ENORME, QUE SÓ O TEMPO E TEU INTERESSE NO ASSUNTO PODERÁ TE LEVAR A DIVERSAS RESPOSTAS. ESPERO MEU QUERIDO, NÃO ESTAR ULTRAPASSANDO O QUE DE MIM ESPERAS...BJS CARINHOSOS, DESTA AMIGA QUE ESTARÁ SEMPRE APRENDENDO CONTIGO...FIQUE COM DEUS

neide disse...

DE ALGUNS ANOS PARA CÁ, TENHO DE CONFESSAR QUE SEMPRE FREQUENTANDO MISSAS, CONFESSANDO, COMUNGANDO, ENFIM, LEVANDO ADIANTE TUDO O QUE ME FOI PASSADO, LEVEI UMA VIDA ONDE NÃO EXISTIA A MENTIRA, O ÓDIO, A INVEJA, ENFIM SENTIMENTOS QUE SERIAM CAPAZES DE AGREDIR O SER HUMANO.ACORDEI DE UMA MANEIRA MUITO CRUEL SENTINDO NA CARNE TODO O OPOSTO DO QUE ME FOI ENSINADO. PERCEBI QUE NÃO FUI CRIADA PARA A VIDA DO DIA A DIA. POSSO DIZER QUE NESTES DEZ ANOS DE SOFRIMENTO MAS SOBRE TUDO DE APRENDIZADO E DISCERNIMENTO, DESVENDEI A MINHA VERDADEIRA ESSÊNCIA NESTA VIAGEM A TERRA ONDE DEUS NA SUA INFINITA SABEDORIA, ME TESTOU. ME DEU TUDO QUE UM SER HUMANO GOSTARIA DE TER E CONSTRUIR COM SUAS PRÓPRIAS MÃOS, POIS, ACREDITO QUE O SER HUMANO SÓ DÁ VALOR AQUILO QUE ALCANÇA COM SEU ESFORÇO. AMEI A PONTO DE ACHAR QUE ERA O BASTANTE. PORÉM, COMO NO SEU RELATO ALIÁS MUITO SÁBIO, O AMOR É O VIZINHO MAIS PRÓXIMO DO ÓDIO. MAS POSSO DIZER TAMBEM QUE NUNCA DEIXEI QUE ESSE ÚLTIMO SENTIMENTO TOMASSE CONTA DE MIM A PONTO DE IGUALAR TODOS A UM SÓ. SEMPRE TIVE O DISCERNIMENTO DE QUE O SER HUMANO NÃO TEM QUE RESPONSABILIZAR O OUTRO PELOS SEUS ERROS. VOCE FICA ONDE VOCE SE PÕE E NÃO PODE FICAR ONDE QUEREM QUE VOCE FIQUE. SEI QUE TENHO UMA MISSÃO AQUI SENÃO QUAL O MOTIVO DA MINHA EXISTÊNCIA NESTE MUNDO DE EXPIAÇÕES? QUAL O PROPÓSITO DE CADA UM AQUI? SOMENTE O AMOR PODE EXPLICAR. E COMO VOCE NÃO ME LIMITO SÓ AO AMOR HOMEM-MULHER. É CLARO, FAZ FALTA, É MARAVILHOSO. E CONCORDO PLENAMENTE TAMBEM QUANDO DIZ QUE O SEXO DEVE SER SEMPRE CONSEQUENCIA DO AMOR POIS, SE ASSIM NÃO O FOR, NÃO NOS DIFERENCIREMOS DOS ANIMAIS IRRACIONAIS QUE O NOME JÁ EXPLICA - IRRACIONAL- NÃO PENSA, SOMENTE ATENDE AOS SEUS INSTINTOS, NADA MAIS RESTANDO AO TÉRMINO DE ALGUNS MINUTOS, QUANDO NÃO SEGUNDOS E PONTO FINAL. A NOSSA ESSÊNCIA NÃO PODE SER TRATADA DE TAL FORMA. NÃO ESTAMOS AQUI POR ACASO. TEMOS UMA CONTRIBUIÇÃO A DAR NESTE MUNDO PARA QUE ELE SE TORNE MELHOR. SEMPRE HAVERÁ ALGUEM EM PIOR MOMENTO QUE O NOSSO. SEMPRE HAVERÁ UMA PALAVRA A SER DITA.QUE NÃO SEJA UM "EU TE AMO" MAS QUE SEJA ALGO PARECIDO E QUE FAÇA O OUTRO NUNCA DESISTIR DE CAMINHAR E SAIR SEMPRE EM BUSCA DA LUZ NO FUNDO DO TÚNEL.ESTAMOS NUMA ESCOLA ONDE TODOS OS DIAS EXISTEM PROVAS, TESTES, ARGUIÇÕES SEM FALAR NAS SURPRESAS. PRECISAMOS DELAS TAMBEM. JÁ PAROU PARA PENSAR SE TUDO FOSSE SEMPRE IGUAL, AS MIL MARAVILHAS, SEM DESAFIOS, SEM CONQUISTAS, SEM UM INIMIGO PARA TER MOS A PERSEVERANÇA DE TORNÁ-LO EM AMIGO? COM CERTEZA MORRERÍAMOS DE TÉDIO E AÍ SIM NÃO SABERÍAMOS O MOTIVO DE ESTARMOS AQUI. NÃO SABERÍAMOS O PORQUE DE TERMOS NASCIDO EM DETERMINADA FAMÍLIA, DE TERMOS CASADO COM A PESSOA ERRADA. TALVEZ NÃO TIVESSE SIDO A ERRADA, TIVESSE SIDO A PESSOA DESIGNADA POR DEUS PARA TE FAZER ACORDAR PARA A REALIDADE MESMO QUE TENHA SIDO DA MANEIRA MAIS CRUEL POSSÍVEL, MAS QUE SÓ ASSIM VOCE MUDARIA A ROTA DA SUA VIDA PARA MELHOR. ACREDITO QUE QUANDO SE ESTÁ TOTALMENTE ENVOLVIDO NA ROTINA, NÃO CONSEGUE OLHAR O ADIANTE ONDE ESTÁ O SEU VERDADEIRO CAMINHO E QUE SE NÃO OCORRER UM TWISTER, VOCE NÃO SE MOVERÁ, NÃO TERÁ A MÍNIMA PREOCUPAÇÃO EM SABER SE EXISTE ALGUEM PRECISANDO APENAS DO SEU SORRISO, DO SEU OLHAR...DÚVIDAS SEMPRE HAVERÃO. MAS, O AMANHÃ JÁ É UMA DÚVIDA. QUEM SABE SE AMANHÃ ACORDAREMOS, SE AMAREMOS NOVAMENTE, SE EXISTE ALGUEM MELHOR OU PIOR QUE NÓS... SOMOS O QUE NOS FIZERMOS SER. AMAREMOS QUEM QUISERMOS AMAR PARA NOS TORNARMOS ALGUEM MELHOR E NÃO PARA AGRADAR ALGUEM.NÃO DEVEMOS DISPERDIÇAR NENHUM MINUTO DE NOSSAS PRECIOSAS VIDAS, POIS, ELES PASSAM MUITO RÁPIDO E NÃO VOLTAM MAIS. CONTINUE ASSIM.RÚSTICO E MODERNO, RUDE E AMÁVEL, DUVIDOSO E CONFIANTE, ARREDIO E PRESENTE, SÁBIO E CARIDOSO EM SEUS ATOS E GESTOS EM TODOS OS SEUS DIAS POR MUITOS E MUITOS ANOS, POIS, QUERO USUFRUIR DE TODOS OS MINUTOS QUE DEUS NOS DEU O PRIVILÉGIO DE COMPARTILHAR O SEU EXEMPLO DE VIDA, HONRA E NITIDEZ NESTE PLANETA.
BJS DE GRATIDÃO E ADMIRAÇÃO.

Emir Larangeira disse...

Prezada Neide

Li outro dia e concordei no ato: é melhor amar o amor do que odiar o ódio. Trata-se de difícil exercício, mas creio valer a pena tentar.

Beijo no coração.