Convite de Lançamento

Convite de Lançamento
Fogo Urbano

sábado, 4 de fevereiro de 2012

Sobre a greve


O movimento de greve de militares estaduais e policiais civis que se avizinha no RJ, e cresce como bola de neve, me faz refletir sobre o efeito desta bola ao rolar montanha abaixo em avalanche destruidora. O exemplo do caos na Bahia serve como fonte de reflexão no sentido de que uma greve de policiais, antes de atingir o governante, fragiliza ao máximo a paz pública que nós juramos garantir perante o Pavilhão Nacional, por Deus, e por nossa honra. A paralisação da polícia choca-se frontalmente com o juramento, como nos alertou o Cel PM Luiz Stanislaw Erthal Monnerat em e-mail aos companheiros dele e que repassei aos meus contatos. A argumentação dele procede, sendo-me difícil até descrevê-la com minhas palavras. Vou, portanto, postá-la no fim desta reflexão. Mas como a palavra não se deve esgotar, creio ser necessário um pronunciamento meu nesta hora de empolgação que é prenúncio de caos ainda pior que o da Bahia.
Não tenho ido às ruas participar das manifestações, embora sejam emocionantes. Porém, como emoção coletiva e ingenuidade andam abraçadas, prefiro o voo solo e sobre o assunto “greve” manifesto-me em interrogação no meu blog e em inferências que por vezes me soam confusas até a mim. Talvez por entender que o excesso de tudo é um erro, não posso negar minha preocupação com a exploração política dos legítimos anseios dos manifestantes. Não que o atual governante não tenha feito por merecer a pressão. Afinal, ele falhou com a categoria policial no seu compromisso assumido em campanha. Pior ainda é a aluvião de ofensas por ele disparadas contra policiais e bombeiros. São tantas e tão notórias que dispenso aqui o registro delas. De certo modo, ele vem fomentando a insatisfação geral dos militares estaduais e policiais civis. Se houver a paralisação, a maior parcela da culpa lhe caberá como castigo, embora possamos adiantar que o castigo maior será destinado à sociedade e, por via de consequência, aos grevistas.
Preocupa-me, desde que acompanho a movimentação dos militares estaduais em vista da PEC 300, a ingenuidade dos participantes pondo fé no impossível. Quem participa do movimento e mantém contato comigo sabe que eu jamais acreditei que a PEC 300 vencesse a resistência do PT. Hoje estou certo disso, depois de ouvir na semana finda o líder do governo na Câmara Federal, Deputado Cândido Vacarezza, se pronunciar com todas as letras que a PEC não entra em votação. Enfim, como eu previ, a PEC 300 irá para a prateleira dos sonhos irrealizados. Ora, esperar o quê das esquerdas quanto aos fardados?... Claro que também o nosso governante representa com maestria de ator global seu papel de esquerdista desde criancinha. Enfim, há um sistema de ódio embutido nesse processo de retaliação endereçado aos militares em geral com algum fim que ainda não alcanço, mas antevejo-o como tormenta social.
A questão que se me afigura é a seguinte: o sucesso de um movimento de greve é geralmente antecedido de muita organização e de legitimidade perante a sociedade. Há segmentos que apostam nisso e sempre alcançam seus objetivos. O que quero dizer é que as categorias de trabalhadores particulares e de servidores públicos que vencem governos e patrões são aquelas adrede estruturadas em sindicatos fortes e lideranças testadas e aprovadas por todos. Infelizmente, não é o que vemos entre os militares estaduais, que, além de não serem sindicalizados, são fragmentados em mil e uma entidades ditas representativas, mas que, na realidade, existem para explorar a carência financeira de todos, que é crônica, por meio da oferta de empréstimos imediatos, que, logo em seguida, deságuam no contracheque dos sofridos militares estaduais. É, sim, um círculo vicioso facilitado pelo governo, que autoriza o desconto em folha em vez de proibi-lo.
Outra oferta tentadora para associar os militares estaduais é o apoio jurídico em situações de reivindicação de direitos ou de defesa gratuita nos casos de delitos administrativos e penais. Sem condições de constituir advogado, os militares estaduais associam-se a uma ou mais entidades do gênero, e sua remuneração diminui ao extremo da penúria. Cá entre nós, nenhum aumento salvará quem já se enfiou nesse buraco sem fundo, mas é certo que muitos dos que participam do movimento de greve se enquadram no exemplo. Pior é que essas entidades ditas representativas, que não lideram seus associados, mas apenas os exploram, se arvoram em defensoras da verdade e da justiça como se legítimas fossem. E muitíssimo pior: ainda são ouvidas pela mídia e por autoridades públicas, não passando essas vozes de “canto solo” saído de algum gravador oculto na cueca...
O que pretendo dizer é que não há movimento classista sem organização prévia, objetivos claros e comando de greve gerados num contexto que não pode ser aleatório. Ora, estamos diante de um cenário tão aleatório que somente na iminência do confronto é que os manifestantes cuidaram de formar uma comissão, às pressas, para negociar com o governo, porém já com um pé na greve e o governante de guarda alta. A questão que pesará ante o impasse resumir-se-á à reação da sociedade e, especialmente, da grande mídia que forma a opinião pública, ou publicada, como queiram, pois dá no mesmo, o que me permite indagar: é agradável o que se vê na Bahia? Vale a ufania pela greve, se o resultado é trágico para a população destinatária dos serviços de segurança pública e que por ele paga caro?... Não haveria outra solução? Cá estou de volta ao juramento perante a Bandeira Nacional...
Que me desculpem os milhares de participantes do movimento! Emociono-me, sim, quando os vejo caminhar pelas ruas! Joguei pesado em defesa dos bombeiros presos e critiquei abertamente a invasão do Quartel Central do CBMERJ pela PMERJ, mas não concordo com os critérios de escolha da comissão, não por demérito de seus integrantes, mas por não visualizar nada além da animada multidão de militares estaduais e policiais civis perigosamente nervosos. A verdade é que ninguém segura a bússola, que passa de mão em mão em disputa acirrada entre os que se dizem líderes da multidão nervosa, não se sabendo onde está o norte ou o sul, nada. Multidão disposta a demonstrar coragem suicida não me parece bom. Há algo irracional nela, e lhe bastará uma faísca para culminar em turbamulta a produzir grave perturbação da ordem pública, paradoxalmente o que nós, militares estaduais, juramos reprimir até com o risco da própria vida. Com efeito, não me apraz nem em pensamento essa multidão transformar-se num “estouro da boiada”, que, para tanto, só depende do ruído de um galho seco racionalmente pisoteado por boi treinado em meio ao nervoso rebanho...



Foi numa tarde junina de sol suado!
Vinha emergindo a boiada profusa...
Surgindo sobre passos arrastados,
Despontando da poeira ocre difusa.

Saía a boiama confusa e cadenciada
Ruminando e olhando para o chão...
E de sinos dispersos, as badaladas,
Iam tocando a massa em procissão.

Em balada profética de triste agouro...
Com pegadas de sofrimento no sertão,
Caminhando resignada ao matadouro
Mugindo! Entoando, estranha oração.

Por vezes... Uma rês cheirava o vento
Com olhar incendiado de condenado,
Bramia profundo e mórbido lamento
Mas ia indiferente ao destino traçado...

Volvia à marcha da sorte derradeira...
Entrecortando a lamentação chorada
Tangida pelo “tocador” da bandeira;
Vermelha... Manchada e esfarrapada!

E os chocalhos na poeira dispersos...
Entoavam canto lúgubre e intrigante!
Desalentos, de uma nota só, em verso,
Mais tristes com o tanger do berrante.

Do peão que com esporas prateadas,
Montava cavalo de suor e salgado olhar
Que escorria pó pelas ventas molhadas
E ferraduras faiscando fagulhas no ar...

Quando quebrou em instante preciso
O galho de árvore que cai estalando...
Em cima de uma rês que... sem aviso,
É assustada e escoiceia disparando...

Outras que mugem, tropeçam e rolam;
Alando chispas braseiras num clarão!
Cabeças e chifres confusos se tocam...
O sangue jorra vermelho para o chão!

Chifram entranhas e solo encarnado,
Quente. Portas do inferno apartando...
Cavalos e bois de olhos arregalados
Que se chocam e os ossos estalando.

Cheiro de sangue, excremento e suor;
Corpos jogados no ar se contorcem!...
Bulício de cães feridos ganindo de dor
E, de mugidos ruminantes que morrem.

Homens que deixam viúvas distantes;
Fica frágil o valente, entregue à sorte...
O destino silencia mais um berrante!...
O forte sabe quando é hora da morte.

Filhos que vão crescer órfãos de pai...
Da desgraça farão história de valentia!
O mundo gira... Sob patas... E não cai
Com certeza, serão boiadeiros um dia!

(Antônio Miranda Fernandes)




A OPINIÃO DO CEL PM MONNERAT:




“Aos prezados companheiros de farda policial militar da briosa corporação que um dia já agasalhou Batalhões, designados como 12º de Voluntários e 31º de Voluntários, atuantes na guerra mais sangrenta em que o Brasil esteve envolvido, vou falar por falar, pois a esta altura do campeonato sei que pouco adianta avaliar opinião de quem quer que seja, muito menos a pobre da minha. Mas, apesar de ter todos os motivos pessoais para, pelo menos, passar ao largo de qualquer demonstração de amor corporativo, fico arrepiado quando uma corporação militar tem em seu seio alguém clamando por greve, sendo que esse alguém, seja ele o militar que for, JUROU em algum momento 'qualquer coisa' que se referia a defender, proteger e/ou cuidar de 'alguma coisa' ao CUSTO DA PRÓPRIA VIDA!
Deve existir alguma coisa errada nisso. Onde estão os Oficiais Superiores? E, o pior, nenhum Oficial que se preze pode ter a INSENSATEZ de compor uma COMISSÃO DE GREVE COM UM CABO OU SOLDADO, ora, ora! Isto já está errado no nascedouro e não pode dar certo, mesmo se viesse com isso conseguir alguma vantagem, pois é um canal ilegal e, para nós, os juramentados (ou não vale isso!?!?), chega a ser imoral. Tem que existir algum meio mais inteligente de atingir a consciência dos responsáveis por este estado de coisas.
Daqui a pouco vão mandar para policiar as nossas ruas a tal excrescência da FORÇA NACIONAL, formada por PMs, inclusive comandada por um PMERJ até há pouco pelo menos! Quanto que eles ganham em salário???? Todos sabem, mas isto também faz parte do problema e todos comandantes concordam e se sentem honrados com essa palhaçada inconstitucional!
Por amor de Deus, os que têm ainda alguma voz ativa junto aos idealizadores desse reprovável e vergonhoso movimento, se dele fizerem parte os PMs e os BMs, usem-na para dissuadi-los disso, pois o mínimo que podemos esperar depois de tudo seria a constatação de que se deu um tiro no pé, e, convenhamos, para nós não poderia ser tal fato mais constrangedor, uma desmoralização por imperícia!
Vamos insistir junto a essa classe política sem-vergonha, junto a esse governador de fachada e junto à população do Rio de Janeiro, levando a eles a insatisfação através da não aceitação desses penduricalhos 'imaginados' pelos maquiavéis de plantão para a contenção da tropa, como as gratificações das UPPs e do BOPE, o acelerador de promoções de praças etc. Mas, GREVE NUNCA! A população jamais perdoaria a PM por essa... Nós temos que prejudicar é o Governador, o PT e a petralhada e os seus apoiadores, nunca a população que se lasca em todas também...”




Abs. Monnerat

12 comentários:

Impunidades e Injustiças Sociais disse...

ASSINO EM BAIXO !! Sempre disse isso desde quando conheci seu SUB CLOVIS DA PEC300 ,MAJOR OLIMPIO E DEMAIS ARTICULADORES DAS MESMA POR SP,eles mesmos acabaram por queimar a LEGITIMIDADE DA mesma,e pior estão levando profissionais que um dia JURARAM DEFENDER A ORDEM PÚBLICA,defender e proteger a SOCIEDADE,que nada tem haver com as FALHAS DO SISTEMA ,esse que também VEM NEGLIGENCIANDO PARA COM NAÇÃO BRASILEIRA.

Fui critica ,algumas pessoas ligadas a PEC300 como sendo horas assessores de DEPUTADOS,membros de associações com a finalidade de desacreditar minhas colocações sob os modus operandi dos movimentos ,acabaram por divulgar injurias,calunias ,dizendo inclusive que eu era inimiga de policiais , que não apoiava greve e nem a PEC300.

Como poderia eu sendo filha de um Sargenteante que ralou para poder se aposentar como tenente,irmão de um Capitão NÃO DEIXA DE SER PM também subordinado e por fim esposa de um SD.
Apenas ao logo da caminhada percebi que no movimento PEC300 haviam mais LOBOS NA PELE DO CORDEIRO A QUE ANJOS querendo de fato alcançar os anseios da TROPA.

Basta ver ,quantos candidatos após os movimentos saíram CANDIDATOS E OU ERAM DE ASSOCIAÇÕES.

Só posso dizer NOBRE EMIR não vivo e nem sobrevivo de explorar as mazelas de meus irmãos em CRISTO,uma coisa é vc lutar por um DIREITO E OUTRA COISA É VC QUERER IMPOR ESSE DIREITO AS CUSTAS DO SOFRIMENTO ALHEIO ,AINDA MAIS QUANDO SE JUROU NÃO FAZE-LO,CHEGA DO POVO E DESSES PROFISSIONAIS SERVIREM DE MASSA DE MANOBRAS!!

SEM MAIS DELONGAS,NÃO ESTOU AQUI NA TERRAS PARA AGRADAR OS HOMENS E SIMA DEUS!FIQUEM NA PAZ DE CRISTO!

Impunidades e Injustiças Sociais disse...

COMENTÁRIOS POSTADOS EM UMA REDE SOCIAL SOBRE A GREVE!
Meus caros irmãos,uma coisa é vc fazer um movimento aonde seus interesses não se sobre põe os da sociedade e pior os direitos e a segurança dos mesmos,não se luta por um DIREITO POR MAIS LIQUIDO E CERTO QUE ELE SEJA,usando de violência de atos de vandalismos e ou como se fossem marginais ,servindo de mau exemplo ,ainda mais se tratando de membros da segurança publica. Sempre apoiei greves e movimentos sociais,mas da PM ainda mais dessa forma é uma afronta,pois são eles que sempre estão na linha de frente para defender e impor as LEIS quando outros LUTAM ATÉ PELOS MESMOS MOTIVOS,AUMENTO SALARIAL. E UMA LUTA POR UM BEM MATERIAL JAMAIS DEVE SOBRE POR O MORAL , E MUITO MENOS USANDO INOCENTES COMO ESCUDO E ALVO PARA SE ALCANÇAR SEUS OBJETIVOS! UM DIREITO SE CONQUISTA NÃO SE IMPÕE! ISSO É ATO DE MELIANTE,PRESSÃO,CHANTAGEM,INTIMIDAÇÃO ,COAÇÃO E PIOR VANDALISMO,ENCAPUZADOS E ARMADOS? AONDE VAMOS PARAR!

APARECIDA disse...

comentário postado nesse site ,site de um ex delegado de SP;
http://flitparalisante.wordpress.com/2012/02/03/greve-da-pm-nao-e-afronta-afronta-e-politico-ladrao-governando-as-policias/

03/02/2012 às 14:29 | #4 Citar
SINCERAMENTE DOUTOR AMBAS SITUAÇÕES SÃO UMA AFRONTA!
UM ERRO NÃO JUSTIFICA O OUTRO,NÃO É PORQUE UM ROUBA O OUTRO IRÁ ROUBAR E OU AGIR DE COMUM ACORDO .DEVIDO OS MAUS EXEMPLOS QUE A HUMANIDADE CAMINHA PARA SUA DEGRADAÇÃO.
O problema em questão ao meu ver é o fato de estarem encapuzados,sei que temem retaliações,mas se chegaram a tal ponto ,deveriam SER DE FATO HOMENS E DAREM A CARA A TAPA,o mal de tais movimentos é que apenas uma minoria adere aos mesmos,e assim o movimento fica prejudicado.o os MODUS OPERANDI que esses coitados estão sendo levados a agirem em tais movimentos é que vem mais prejudicando a que ajudando,estão queimando não so os movimentos bem como queimaram a PEC300.
Me diz Doutor ,de que adiantou a GREVE DA PC,DO JUDICIÁRIO,DOS PROFESSORES,QUEM SAIU GANHANDO ALÉM DA ASSOCIAÇÕES E DOS POLÍTICOS,eles usam e abusam dos servidores ,instigam e aguçam mais a revolta e a indignação de uma minoria que sai as ruas e acabam sendo os laranjas que irão se ferrar que os outros sejam coagidos a fazerem o mesmo.
Sempre apoiei greves e movimentos sociais,só que chegou uma hora que eu vi mais politicagem e interesses escusos de terceiros a que LISURA E VERACIDADE PARA COM OS QUE DE FATO INTERESSAVAM OS BENEFÍCIOS,ESSES ATÉ HOJE EM ANOS COMO EM SP ,NUNCA GANHARAM NADA ,A GANHARAM ,DESCONTOS E FOLHAS E PUNIÇÕES ,E PERSEGUIÇÕES COMO TRANSFERÊNCIAS ETC..
O POVO SE NÃO PRESTAREM ATENÇÃO E COMEÇAREM A ADMITIR QUE SÃO MASSAS DE MANOBRAS DE LOBOS NA PELE DOM CORDEIRO ,SEMPRE IRÃO PERDER O INVÉS DE GANHAR.VAMOS SER REALISTAS.
O DESCONTROLE LEVA AO CAOS E ESSE CAOS QUEM SEMPRE PAGA É INOCENTE,E O FEITIÇO VIRA SEMPRE CONTRA O FEITICEIRO,O SERRA TÁ MAL,O MALUF TÁ MAL,O COLLOR TÁ MAL,OS MENSALISTAS ESTÃO MAUS,OS MINISTROS QUE SÃO 7 ESTÃO MAL?
CLARO QUE NÃO O POVO ESQUECE E APOIAM ESTAS CORJA POR UMA ESMOLA EM TROCO!

Anônimo disse...

Bom dia insisto em dizer que os mandos e desmandos que outrora perduraram na SSP RJ em especial praticados por oficiais PM e BM já é parte do passado não aceitaremos mais ser tratados com estatísticas com ser que não raciocina e mero cumprido de ordem chega vamos lutar e continuar lutando por dignidade salarial e por um código de ética que norteia a relação governo e trabalho dos servidores militares.

Anônimo disse...

Não sou professor de português, mas gostaria de tornar intelegível, o que o anônimo disse acima.
Bom dia.
Insisto em dizer que os mandos e desmandos que outrora perduraram na SSP RJ, em especial praticados por oficiais PM e BM, já fazem parte do passado. Não aceitaremos mais sermos tratados como estatística e como seres que não raciocinam e meros cumpridores da ordem. Chega! Vamos lutar e continuar lutando por dignidade salarial e por um código de ética que norteia a relação governo e trabalho dos servidores militares.

TELLES disse...

Cel. Emir meus respeitos,
estou na pmerj á 11 anos e alguns meses, tive o prazer de conhecê-lo por conta do amigo Antunes, depois que li seu texto e do cel. jorge sobre a tempestadade que se anuncia,e ela poderia ser administrada melhor, lembrei de um texto que escrevi, por sinal incompleto,sobre uma SÍNDROME que as unidades vivem nos dias atuais, chamo de SÍNDROME DE PÔNCIO PILATOS. ISTO É O QUE OBSERVO, E CHEGA SER TRISTE. CONCORDO COM DECLARAÇÕES DO CE. MONERAT, SE O SENHOR FIZER UMA REFLEXÃO SOBRE ESTE TEMA, VERÁS QUE GREVE NOS LEVARÁ A CHAGAS JAMAIS VISTAS. FORTE ABRAÇO, SAÚDE E PAZ

TELLES disse...

Cel. Emir meus respeitos,
estou na pmerj á 11 anos e alguns meses, tive o prazer de conhecê-lo por conta do amigo Antunes, depois que li seu texto e do cel. jorge sobre a tempestadade que se anuncia,e ela poderia ser administrada melhor, lembrei de um texto que escrevi, por sinal incompleto,sobre uma SÍNDROME que as unidades vivem nos dias atuais, chamo de SÍNDROME DE PÔNCIO PILATOS. ISTO É O QUE OBSERVO, E CHEGA SER TRISTE. CONCORDO COM DECLARAÇÕES DO CE. MONERAT, SE O SENHOR FIZER UMA REFLEXÃO SOBRE ESTE TEMA, VERÁS QUE GREVE NOS LEVARÁ A CHAGAS JAMAIS VISTAS. FORTE ABRAÇO, SAÚDE E PAZ

TELLES disse...

Cel. Emir meus respeitos,
estou na pmerj á 11 anos e alguns meses, tive o prazer de conhecê-lo por conta do amigo Antunes, depois que li seu texto e do cel. jorge sobre a tempestadade que se anuncia,e ela poderia ser administrada melhor, lembrei de um texto que escrevi, por sinal incompleto,sobre uma SÍNDROME que as unidades vivem nos dias atuais, chamo de SÍNDROME DE PÔNCIO PILATOS. ISTO É O QUE OBSERVO, E CHEGA SER TRISTE. CONCORDO COM DECLARAÇÕES DO CE. MONERAT, SE O SENHOR FIZER UMA REFLEXÃO SOBRE ESTE TEMA, VERÁS QUE GREVE NOS LEVARÁ A CHAGAS JAMAIS VISTAS. FORTE ABRAÇO, SAÚDE E PAZ

TELLES disse...

Cel. Emir meus respeitos,
estou na pmerj á 11 anos e alguns meses, tive o prazer de conhecê-lo por conta do amigo Antunes, depois que li seu texto e do cel. jorge sobre a tempestadade que se anuncia,e ela poderia ser administrada melhor, lembrei de um texto que escrevi, por sinal incompleto,sobre uma SÍNDROME que as unidades vivem nos dias atuais, chamo de SÍNDROME DE PÔNCIO PILATOS. ISTO É O QUE OBSERVO, E CHEGA SER TRISTE. CONCORDO COM DECLARAÇÕES DO CE. MONERAT, SE O SENHOR FIZER UMA REFLEXÃO SOBRE ESTE TEMA, VERÁS QUE GREVE NOS LEVARÁ A CHAGAS JAMAIS VISTAS. FORTE ABRAÇO, SAÚDE E PAZ

Anônimo disse...

Fica com essa agora o Cel. Monnerat!!!

BAHIA - GREVE DA PM - OFICIAIS ADEREM AO MOVIMENTO.
COMUNIDADE DOS POLICIAIS E DOS BOMBEIROS DO BRASIL.
BA: Oficiais da PM acabam de aderir à greve
No final da noite desta terça-feira (07), cerca de 200 oficiais da Polícia Militar aderiram a greve dos agentes grevistas que estão acampados na Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA), no Centro Administrativo da Bahia (CAB). De acordo com testemunhas, eles estão reunidos no local.
Ontem à noite, o Bocão News informou que os oficiais se reuniram em.... Cerca de 250 associados foram mobilizados em um ato de repúdio contra o tratamento dispensado aos policiais militares em greve, que estão acampados na Assembleia Legislativa.
"Ontem recebemos uma proposta do governo muito vazia e bruta. Não havia nela os valores específicos dos soldos e dos GAPs 1,2,3 e 4. Já solicitamos uma nova propostas e desde cedo o presidente da Associação dos Oficiais da Polícia Militar da Bahia (AOPM/Ba) e governos estão reunidos", disse o major Copérnico Mota da Silva.
Por considerar violenta a atitude do Exército contra os grevistas acampados na Assembleia, os oficiais sentiram a necessidade de demonstrar o posicionamento de insatisfação com a situação e com as condições de trabalho da categoria.
Na oportunidade, ele frisaram a necessidade do cumprimento de três pontos da pauta de reivindicações. A anistia administrativa para os líderes do movimento e revogação dos mandados de prisão; o pagamento da GAP 4, a partir de março; além de uma mesa de diálogo permanente para futuras negociações são exigidos pela categoria.
fonte: Bocão News
Juntos Somos Fortes!

Luiz Monnerat disse...

Ao anônimo de cima: não dá para entender o que sinifica a tua expressão: ' fica com essa!'. Interessante que já temos uma "presidenta anacoluta" e isso parece que está fazendo escola, agora um 'anônimo anacoluto'. De qualquer forma fica como pedagógica a tua intervenção, pois uma das maiores dificuldades para a harmonização das partes é justamente a de se fazer entender, como, por exemplo, a já recorrente crise anual nas PMs do Brasil...
Abs. Monnerat

Luiz Monnerat disse...

Uma semana depois digo ao anônimo que me mandou "segurar essa": e aí? Grande resultado, hem?!?!
Meu filho, não basta viver, há necessidade de SABER VIVER. Vá aprendendo com a vida. Ninguém deve e pode ser capacho. Mas, ninguém deve ou pode ser idiota! Quem tiver ouvidos que ouça! Mil vezes usar a inteligência ao invés da força bruta!
De qualquer forma, não deixe nunca de se manifestar. É caindo que se aprende a andar. Não há vergonha nenhuma nisso! Boa sorte para você!